sábado, 21 de abril de 2012

Desabafo 2




Toda vez que eu escuto uma ministração da palavra de Deus em um estudo bíblico, ou em uma pregação religiosa, tento fazer uma comparação da homilia feita pelos líderes modernos com a forma praticada pelos apóstolos e por Jesus o Cristo, que encontramos ao ler os textos bíblicos, mas nem sempre este tipo de comparação consegue atingir bons resultados.

Na grande maioria das vezes, esta comparação acaba me deixando indignado, e ao mesmo tempo decepcionado, pois as ministrações que vemos hoje em dia, nada têm a ver com os sermões feitos naquela época, mas sim com palestras motivacionais; E caso o meu objetivo fosse buscar motivação, eu compraria um livro de Janet Switzer ou de Rhonda Byrne, e não precisaria ficar durante 45 minutos ouvindo um líder religioso.

Eu não consigo encontrar nas palavras de Jesus ou dos apóstolos, este sentimento de triunfalismo que vemos hoje em dia, sendo divulgado em púlpitos, mas sim um forte sentimento de submissão a Deus, e desprendimento das coisas terrenas.

“E dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me. Lucas 9:23”

Sem falar nas técnicas hilárias, tiradas de um curso barato de Ginástica Aeróbica, misturada com frases de efeito do filme Leap of Faith “levante a mão, abaixe a mão, de um pulinho, role no chão, e grite bem alto ALELUIASSSSSSSSSS (risos)”.

Alguém já imaginou o messias no meio de um de seus sermões dizendo “Levanta o dedo profeta” “Crente tem de cuspir fogo” “Se você crê nisso levanta a mão” (Risos e mas risos)

Jamais o nosso amado messias iria fazer um papel deste nível, e nem seus discípulos e apóstolos, pois para eles a mensagem com sua profundidade, precisava entrar no coração das pessoas, e gerar ali vida verdadeira, e não transformar aquele momento em um espetáculo circense.

Precisamos urgentemente fazer da nossa mensagem, um espelho da mensagem de cristo, um reflexo atual da pregação existente no primeiro século.
Mas para isto, precisamos permitir que Deus nos molde, nos transforme, faça de nossas vidas um exemplo vivo de sua palavra, para que assim possamos verdadeiramente agradarmos ao nosso criador, e não aos homens.

Portanto que Deus nos molde a semelhança de Cristo, mesmo que para isso sintamos dores, e tribulações, pois as alegrias deste mundo são incomparáveis com aquilo que ele tem preparado para seus filhos.

Eduardo E. da silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário