domingo, 8 de janeiro de 2012

Eu creio no Papa Bento XVI




Sim você não leu errado no titulo deste texto, eu realmente creio no Papa Joseph Alois Ratzinger que atualmente é conhecido pelo nome de Bento XVI.
Mas calma, não precisa ir correndo contar para todo mundo que eu virei católico e que agora estou me encurvando para ídolos de gesso que nada sabem e não podem atender as orações porque simplesmente não possuem poder para tal coisa (Risos).
Mas eu realmente creio neste homem chamado de papa, creio em sua existência humana, creio que ele existe, creio que ele faz parte de uma religião antiga e que é o líder máximo desta religião chamada Catolicismo.

Creio que ele nasceu no dia 16 de abril de 1927 em Marktl am Inn, uma pequena vila na Baviera, às margens do rio Inn, na Alemanha e que é filho de um comissário de polícia chamado também pelo nome Joseph e uma senhora chamada de Maria, falecida em 1963.
Creio que ele foi batizado dentro dos ritos da Igreja católica apostólica romana que era a religião de seus pais, a mesma religião que agora ele comanda.
E creio nestes fatos fazendo uso apenas da fé, sem ter tido contato com ele ou com sua família na Alemanha para conferir se estes acontecimentos são verdadeiros ou falsos.

Mas ao mesmo tempo em que creio em fatos da sua vida e da vida de muitos outros personagens da historia, descreio de muitas outras coisas, então eu poderia dizer que creio e descreio sem necessariamente estar sendo incoerente em minhas afirmações.

Eu descreio que este homem chamado Joseph Alois Ratzinger possua autoridade vinda de Deus, que seja o sucessor do antigo discípulo de Jesus o cristo chamado Pedro, que tenha existido uma sucessão apostólica ininterrupta até se criar o papado.
Eu descreio na sua ideologia de que a mãe de Jesus chamada em português de Maria seja digna de qualquer espécie de adoração sendo ela uma criatura assim como qualquer outra criatura e, portanto indigna de ser adorada.
Eu descreio em todas as ideologias que sua religião ensina que estiver indo de encontro com o mesmo ensino das escrituras sagradas.
E portanto eu posso afirmar que descreio e creio em Joseph Alois Ratzinger.

Mas como isso é possível crer e descrer em uma mesma pessoa sem ser chamado de incoerente?
Esta escrito no livro de TiagoT 2:19 o seguinte texto:

“Tu crês que há um só Deus; fazes bem. Também os demônios o crêem, e estremecem.”

A crença Basilar das escrituras sagradas e do povo de Israel é crer que existe um unico Deus, e nenhum outro alem Dele como esta escrito em Deuteronômio 6:4.

“Ouve, Israel, o SENHOR nosso Deus é o único SENHOR.”

E o mesmo principio foi repetido pelo messias ao citar o texto em questão como esta escrito em Marcos 12:29.
“E Jesus respondeu-lhe: O primeiro de todos os mandamentos é: Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor.”

Tendo em mente estes textos supracitados percebemos que reconhecer que existe um único Deus até os demônios fazem, mas sem nenhuma submissão a autoridade deste Deus.
O reconhecimento de fatos como os mencionados anteriormente na historia sobre a vida do atual pontífice da Igreja católica não significa necessariamente uma submissão às mesmas ideologias apresentadas por ele.

Existe em nossos dias uma grande confusão e uma dificuldade de se compreender oque significa crer em alguém no sentido mais profundo desta palavra, precisamos entender a diferença de uma fé superficial e uma fé profunda enraizada nas mesmas ideologias propostas nas sagradas escrituras.
O ato de crer nas escrituras pode ser classificado de duas formas básicas, a saber, a crença como uma forma simples de reconhecer algo como sendo verdadeiro ou falso, como os Demônios que sabem que existe um único Deus ou a submissão a uma ideologia especifica, tornando ela parte de sua vida em reconhecimento de que você tem por verdadeira aquela ideologia.

Estas diferenças muitas vezes não são compreendidas por muitas pessoas que não conseguem entender quando os textos bíblicos escrevem frases com a palavra crer e confiar.
E acabam entendendo que o ato de crer seria apenas reconhecer de maneira superficial algo como verdadeiro e se esquecem de que a ideia dos textos é exatamente o contrario de uma crença leviana, mas sim a vivencia diária e a pratica continua de princípios e regras contidas nos textos bíblicos.
Eu poderia citar muitos textos que normalmente são lidos e compreendidos de maneira muito simplória, mas vou me ater a apenas alguns para não tornar este artigo muito enfadonho.

“Para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. João 3:15 “

“Porque a Escritura diz: Todo aquele que nele crer não será confundido. Romanos 10:11”

“Como está escrito: Eis que eu ponho em Sião uma pedra de tropeço, e uma rocha de escândalo; E todo aquele que crer nela não será confundido. Romanos 9:33”

“E Jesus disse-lhe: Se tu podes crer, tudo é possível ao que crê. Marcos 9:23”

“Eu sou a luz que vim ao mundo, para que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas. João 12:46 “

“Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus. João 3:18 “

Nenhum desses textos bíblicos tem o objetivo de colocar a crença de maneira superficial transformando ela em apenas um ato simplista de pronunciar um nome especifico.
Quando os textos dizem frases como “crê nele” “Se tu podes crer” “todo aquele que crer” “quem não crê” não significa em hipótese alguma simplesmente pronunciar um nome especifico, como fazem tantas religiões exotéricas.

A crença ao qual estes e muitos outros textos dizem refere-se ao ato de viver uma ideologia, praticar uma ideologia diariamente, manifestar em sua própria vida a sua crença.
E talvez seja por isso, pela falta de compreensão de textos como estes que vemos em nossos dias tantos escândalos, e tantas pessoas que se dizem seguidoras de Jesus, crentes na palavra de Deus, mas que durante suas atitudes diárias nada fazem para demostrar que realmente acreditam nisso.

Este texto tem como objetivo principal mostrar que crer é muito mais que sentir, e que falar, é viver todos os dias e todos os momentos sejam bons ou ruins, sejam grandes ou mínimos não se envergonhar em meio a uma sociedade totalmente distante de Deus, totalmente afastada dos princípios verdadeiros que aprendemos nas escrituras sagradas.
É ir contra tudo e contra todos em prol de um grande objetivo mostrar ao mundo O amor de Deus na pessoa de seu mais querido filho Jesus.
É reconhecer que Deus e tão somente Ele é capaz de nos guiar, de nos conduzir a um caminho reto e sublime, que não somos capazes em hipótese alguma de nos guiarmos com nossas próprias forças.

E que por isso não podemos dizer aquilo que é certo ou aquilo que é errado e que Ele e apenas Ele tem esta capacidade de fazer isto, e não podemos lutar contra isto, bravejar contra aquele que nos criou.
E que por este motivo cremos com toda a nossa alma e vivemos todos os dias para expressar esta verdadeira confiança naquele que tudo pode o Todo Poderoso Criador dos Céus e da terra, que é Bendito para sempre e sempre.

O Deus de Abraão, de Isaque, e de Jacó que concedeu a todos os povos um grande Salvador, prometido aos patriarcas e a todo povo de Israel, Jesus o cristo.

Que este mesmo Deus nos ajude todos os dias de nossas vidas para que possamos crer não segundo a carne, de uma maneira superficial e simplória, mas segundo o espirito de santificação e verdade, de uma maneira verdadeira e pura, ao qual este Único e verdadeiro Deus merece.

Eduardo e . da silva.

Um comentário: